Anúncios
  • Instagram

    Amo cola quente, amo dedos queimados #sqn Cabelos colados, só falta as carinhas 💓💓#fantoche #marionetes #teatrodebonecos #contarhistorias #ciadasmaos Das visitas nossas de cada dia!! É cada susto!!! A danada tem uns 12 cm de largura.  #bruxa #mariposa #bomdia #borboleta  #ciadasmaos Onde eu estava com a minha cabeça quando achei que ia ser facinho facinho... 36 miaus intercalados numa colcha de patchwork de 2,5x2,5m. #patch #patchaplique #gatos #patchwork #colchadepatchwork #artesanato #feitoamaolivre #ciadasmaos Bolo de beterraba!! Estranho... Mas até que ficou bom! Mais bonito do que bom! #bolo #beterraba #vidasaudavel Gatos muiiito! Vai ter cor, chega de mesmice! #gatos #patch #patchaplique  #ciadasmaos Novidades chegando! 🤗
Estrelas em cores!
#patch #estrelas #ciadasmaos Mais um Natal Luz chega ao fim, mais uma vez meu atelier foi assaltado, sempre nessa época! Mas eu continuo acreditando no poder da energia boa! Seguimos focando no bem, sempre! Avante que 2018 tem tudo para ser um ótimo ano 😍 Mais um pronto (falta forrar, claro)! Tapetes de atividades para bebês brincarem.  #tapetedeatividades  #tapeteinfantil #patchwork #patchaplique  #ciadasmaos #natalluzgramado #compredequemfaz #go +1 projeto na mesa... Corta recorta junta separa, quase quase! Tapete de atividades 😄😛🤗
#ciadasmaos #tapetedeatividades #artesanato #patch #patchwork  #natalluzgramado #compredequemfaz
  • Quantas fraldas o Brasil descarta?

    Apenas 27% das crianças de 0-30 meses usam fraldas descartáveis, mesmo assim são descartadas:
    - 204 fraldas por segundo
    - 12. 240 fraldas por minuto
    - 734.400 fraldas por hora
    - 17.625.600 fraldas/DIA
  • Trocar 5500 fraldas DESCARTÁVEIS x 40 fraldas de PANO, é viável?

    Minha intenção com este blog é divulgar informações, dados, estatísticas a respeito do uso de fraldas. Quais são os impactos do uso de fraldas descartáveis? Quais são as desvantagens do uso de fraldas de pano? Viabilidade, sustentabilidade, impacto ambiental. O que pesa mais? Um lixão sobrecarregado de fraldas a céu aberto ou um sistema de águas sobrecarregado de água, sabão e dejetos fecais?

Calcinhas de treinamento, ou… cuecas!

Calcinhas de treinamento para o desfralde www.fraldabonita.com.br

Calcinhas de treinamento para o desfralde http://www.fraldabonita.com.br

Disponíveis na lojinha através do link

http://www.babyslings.megaweb.com.br/index.php?act=viewProd&productId=1858

A criança que usa fraldas de pano normalmente desfralda mais cedo, e aí vem a dúvida, como é que continua? Vai direto para a calcinha/cuequinha? E os acidentes de percurso, no sofá, tapete, no chão… Fica por isso mesmo, encara-se numa boa, assobiando? Para tudo tem jeito, não é mesmo?

Há algum tempo nós estamos fazendo calcinhas e cuequinhas para treinamento, em cotton, ribana ou plush. Dentro dela há um absorvente em formato de “8”, fixo por botões de pressão num suporte que sai do cós, possui 2 camadas de microfibra e 1 de malha, esta ficará em contato com a pele da criança.

Esse absorvente não vai salvar a pátria, mas!!  Vai evitar que os acidentes mais trágicos aconteçam no palco da sua sala 🙂

Grade de tamanho: 1ano / 2 anos / 3 anos.

Artigo: calcinha/cueca + 1 absorvente

Mateial: plush 75% algodão e 25% poliester

Formato: cuequinha ou calcinha, zorba ou curta.

Aonde? A partir de amanhã na loja virtual http://babyslings.megaweb.com.br

Por enquanto nestas duas estampas, mas aceitamos encomendas, faça uma pré-reserva pelo email info@fraldabonita.com.br combinado?

Anúncios

Guerra das Fraldas

Guerra das fraldas, por Regina Scharf

 Você passa a sua vida limitando o consumo de água e dando preferência a produtos orgânicos ou certificados. Até que tem o seu primeiro filho, e é batata: nem todo o engajamento do mundo faz com que você encare fraldas de pano.

 A comodidade das descartáveis – associada à pesada propaganda da indústria – explica porque elas dominam pelo menos 90% do mercado nos EUA, onde são comercializadas cerca de 20 bilhões de unidades anuais. O resultado: elas geram 3,5 milhões de toneladas de lixo anuais. As fraldas representam o terceiro resíduo sólido mais importante nos Estados Unidos, após jornais e embalagens de bebidas, mas estes últimos são freqüentemente recolhidos em separado e enviados para reciclagem.

 Por enquanto, a única empresa que diz reciclar fraldas na América do Norte é a canadense Smallplanet, que primeiro higieniza o material descartado – coletado em domicílio -, depois separa a celulose da porção plástica. A primeira pode ser convertida em papel de parede, solas de calçados e filtros para óleo. O plástico pode ser enviado para a produção de madeira sintéticae painéis decorativos. O serviço custa cerca de US$ 13 a cada quinzena.

 As pilhas de fraldas descartadas em aterros sanitários e lixões parecem não ter incomodado os coordenadores de uma pesquisa sobre o ciclo de vida do produto, divulgada no ano passado pela agência ambiental britânica. O estudo criou polêmica ao concluir que o impacto das descartáveis não era muito diferente do das fraldas de pano porque, em geral, estas seriam lavadas a temperaturas bastante altas em máquinas que não utilizam plena carga. Evidentemente, as fabricantes de descartáveis vibraram com o resultado do estudo.

 A pesquisa despertou ira entre inúmeros grupos ambientalistas que, dentre outras críticas, argumentaram que as máquinas de lavar mais modernas gastam muito menos do que o padrão considerado na pesquisa e que muita gente não passa fraldas a ferro, o que mudaria bastante
esta contabilidade. Por essas contas, os impactos das fraldas de pano sobre o clima seriam 24% menores aos indicados pela agência britânica.

 Para quem não engole a conclusão dessa pesquisa e consegue resistir às descartáveis, sobra, é claro, a opção das fraldas de pano. Nos Estados Unidos, é possível adquirir um sem-número de fraldas orgânicas, produzidas com algodão não-branqueado ou Cannabis, ou ainda as G-Diapers – versão biodegradável do absorvente feminino, que é encaixada numa calça especial. Depois de usada, ela é disposta em composteiras de adubo ou jogada no vaso sanitário, para que siga para o esgoto.
Segundo os seus fabricantes “as G-diapers não envolvem cloro elemental, perfume, cheiro, lixo ou culpa”. Só que são mais caras do que as já caras descartáveis. Também é possível contar com serviços especializados na lavagem de fraldas. A mãe deixa uma caixa com as fraldas de pano sujas do lado de fora da casa e a empresa a troca por outra com fraldas limpas.

 Mas um grupo de pais norte-americanos acredita que, melhor mesmo, é aboli-las de todo. Eles tentam libertar seus filhos das fraldas, sejam elas de que natureza for, já nas primeiras semanas de vida. O tema foi até reportagem do New York Times, no fim do ano passado. A maior promotora deste conceito, a canadense Ingrid Bauer, argumenta que milhões de crianças em países pobres jamais utilizaram este
tipo de proteção, e nem por isso sujam os saris ou batas de suas mães. A prática também traria o fim das assaduras, reforçaria a intimidade entre pais e filhos e representaria uma
economia significativa, já que cada criança consome algo entre 5 e 8 mil fraldas nos seus dois ou três primeiros anos.

 Em tese, o conceito é simples. A mãe deve prestar atenção a indícios de que o bebê está em vias de se aliviar, como uma agitação súbita ou uma careta. Ela deve então suspendê-lo sobre o vaso sanitário ou um penico e dar um assobio ou emitir algum outro código, que a criança entenderá como um sinal verde para fazer suas necessidades ali. Evidentemente, esse sistema tão pavloviano, batizado de Higiene Infantil Natural, depende de uma mãe permanentemente presente e atenta, já que a seqüência se repete ao menos 10 vezes ao longo do dia. Resta saber se sobrará tempo para que a mãe vigie o consumo de água da família e revire o mercado atrás de madeira certificada. Ou faça qualquer outra coisa.

http://www.akatu.org.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=1641&sid=84&\tpl=view_tipo4.htm

%d blogueiros gostam disto: