• Instagram

    Houve um erro ao recuperar imagens do Instagram. Uma tentativa será refeita em poucos minutos.

  • Quantas fraldas o Brasil descarta?

    Apenas 27% das crianças de 0-30 meses usam fraldas descartáveis, mesmo assim são descartadas:
    - 204 fraldas por segundo
    - 12. 240 fraldas por minuto
    - 734.400 fraldas por hora
    - 17.625.600 fraldas/DIA
  • Trocar 5500 fraldas DESCARTÁVEIS x 40 fraldas de PANO, é viável?

    Minha intenção com este blog é divulgar informações, dados, estatísticas a respeito do uso de fraldas. Quais são os impactos do uso de fraldas descartáveis? Quais são as desvantagens do uso de fraldas de pano? Viabilidade, sustentabilidade, impacto ambiental. O que pesa mais? Um lixão sobrecarregado de fraldas a céu aberto ou um sistema de águas sobrecarregado de água, sabão e dejetos fecais?

Método Mãe Canguru, cada vez mais hospitais aderem!

http://www.consumidorrs.com.br/rs2/inicial.php?imgm=n&case=2&idnot=21659

Hospital Universitário (HU) de Canoas, que é referência no estado para o Método Canguru, realizará formação de outros hospitais do Rio Grande do Sul entre os dias 25 a 29 deste mês. O parto humanizado ao recém-nascido deverá ser ampliado no Estado.

O HU é administrado pelo Sistema de Saúde Mãe de Deus em parceria com a Prefeitura de Canoas e o Ministério da Saúde.

O Método Canguru é um programa de humanização do parto do recém-nascido prematuro (bebês abaixo de 1.500 gramas) do Ministério da Saúde, iniciado no ano de 2000. O objetivo desse programa é melhorar o vínculo mãe-bebê, estimular o aleitamento materno, diminuir o estresse do recém nascido e a mortalidade infantil, dentre outros.

O Ministério da Saúde elege, nos estados, centros de treinamento do método, ou seja, lugares de excelência que aplicam esse método e que passam a treinar outras instituições. No estado do Rio Grande do Sul, o HU é o centro de referência e o único habilitado para realizar esse treinamento.

Serão treinadas pessoas de hospitais da capital e do interior do estado, que receberão treinamento teórico e prático no HU, e passarão a ser multiplicadoras da técnica nas suas instituições.

Segundo o pediatra Dr. Paulo Nader, gestor da área de neonatalogia do HU, dois terços da mortalidade infantil ocorrem em bebês prematuros e o Método Canguru, comprovadamente, reduz essa estimativa. “Todas as técnicas foram testadas e estudadas em várias unidades no Brasil e no exterior, apresentando resultados positivos” destaca.

“Biologicamente, no contato pele a pele, a mãe divide suas bactérias e suas defesas com o bebê. Se o bebê for amamentado, ele ainda vai receber anticorpos que ajudam a sua proteção. Esses bebês apresentam menos infecções, ganham mais peso e apresentam uma saúde melhor”, acrescenta Dra. Silvana Nader, coordenadora do Método Canguru no HU.

Saiba mais sobre o Método Canguru

O Método Canguru visa a sensibilização da mãe para que ela venha aderir ao programa por escolha voluntária. Inclui a criação de uma rede de apoio para os cuidados com o bebê e de um ambiente calmo e acolhedor.

O Método é composto por três fases. A primeira inicia quando a mãe está internada, recebendo orientações sobre o parto e a mobilizando para a participação no programa, bem como o pai e família são incluídos. Nessa fase, após o nascimento, quando o bebê vai para a UTI, é estimulado o contato precoce dos pais com o bebê.

Assim que o bebê se revela estabilizado clinicamente, inicia-se a segunda fase, em que a mãe é estimulada a ficar a maior parte do tempo possível em contato direto com o bebê, em acomodações propícias para possibilitar essa convivência. Nesse momento, a família recebe um atendimento multidisciplinar, com avaliação social e psicológica.

Para receber a alta acompanhada, o bebê já deve estar mamando nos seios, ganhando peso regularmente e não necessitando de aparelhagens hospitalares, ou seja, quando suas condições clínicas estão estáveis. Assim, começa a terceira fase.

Essa fase compreende o acompanhamento regular à família até que a criança esteja em torno de 2,5 kg ou que apresente boas condições clínicas, sendo o atendimento individualizado. Nessa fase também, o bebê fica apenas de fraldas em contato pele a pele com a mãe, apoiado por uma faixa, para que a mãe possa ter mobilidade.

%d blogueiros gostam disto: